pb.jpg

Conheça a historia da maior favela de São Paulo

A área de Heliópolis foi adquirida em 1942 pelo Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Industriários – IAPI, do Conde Sílvio Álvares Penteado e outros. Em 1966, com a unificação dos diversos Institutos do INPS – Instituto Nacional de Previdência Social, a terra passou para o IAPAS – Instituto de Administração Financeira da Previdência e Assistência Social. Em 1969 o IAPAS construiu o Hospital Heliópolis e o Posto de Assistência Médica – PAM. Outra parte do terreno original foi desapropriada pelo estado para uso da SABESP e outra parte foi negociada com a Petrobras. É nessa paisagem que, entre 1971 e1972, a Prefeitura de São Paulo retira 153 famílias de áreas ocupadas na favela da Vila Prudente e Vergueiro, com a intenção de fazer vias públicas e as acomoda em alojamentos “provisórios” no terreno do IAPAS, alojamentos estes que se tornaram permanentes. Outras famílias migrantes do nordeste do país, bem como os trabalhadores da obra do Hospital Heliópolis e do PAM foram construindo seus barracos. 

50 ANOS DE HELIÓPOLIS 

Conheça Heliópolis pelas historias dos moradores que são referencia na comunidade.

HELIÓPOLIS E A LUTA POR UMA MORADIA DIGNA

Heleno Manoel chegou em Heliópolis em 1986, ele conta como se envolveu na luta por moradia em Heliópolis

HELIÓPOLIS: UM BAIRRO MELHOR DE MORAR

Silvana, moradora de Heliópolis, conta como era Heliópolis antigamente e como a favela foi se desenvolvendo ao longo dos anos, tornando-se um bom lugar de morar 

QUANDO CHEGUEI AQUI EM HELIÓPOLIS...

Sem dinheiro para pagar o aluguel, a família de Maninho Bento mudou para Heliópolis em busca de melhores condições de vidas. Bento ainda conta como chegou as primeiras famílias e como foi viver nos alojamentos.

HELIÓPOLIS E A LUTA POR UMA VIDA MELHOR

Foi em 1986 que Gerohhanna chegou em São Paulo, fugindo da fome e chegando Heliópolis, tendo que lidar com o preconceito de grilheiros, foi na luta que Gerohhann conquistou o seu lugar em Heliópolis.

DE PORTA EM PORTA, ASSISTENCIALIZANDO HELIÓPOLIS

Solanje Agda chegou em Heliópolis ainda criança, seu coração cresceu em Heliópolis e foi assim que ingressou na área de assistência às crianças e adolescentes de Heliópolis

QUANDO CHEGUEI AQUI EM HELIÓPOLIS...

Cleide tinha cinco anos quando sua família deixou o Ceará a procura de um lar para morar e uma vida melhor para viver, este era seu sonho. Foi aos oito anos que viu sua família chegando em Heliópolis para realizar este sonho.

HELIÓPOLIS: A SEMENTE PLANTADA

Fugindo da seca do Piauí, Miguel Borges chegou em São Paulo 'cortando o caminho' para plantar sua semente em Heliópolis. No final de 2020 perdemos Miguel Borges, mas seu desejo permanece na nossa história e nossos corações.